Bem-Vindos
       Benefícios do Sexo na Saúde   

Sem efeitos secundários ou contra-indicações, de fácil acesso, grátis e eficaz, nunca um outro remédio teve todas estas qualidades. Este "medicamento revolucionário" em todos os sentidos, nada mais é do que ... "O Sexo". Ele revitaliza o corpo, alivia o stress, excita a mente e, como se não bastasse, é um dos meios mais eficazes na prevenção de muitas enfermidades e ainda um excelente exercício físico.

Em 1975, a Organização Mundial de Saúde publicou um trabalho sobre esta matéria "Education and Treatment in Human Sexuality: The Training of Health Professionals" onde defendiam que a saúde sexual era um dos aspectos mais importantes e positivos do ser humano, devendo a sexologia ser encarada como disciplina autónoma. Felizmente que a partir desta data, os estudos nesta área tem vindo a desenvolver-se sem preconceitos ou tabus.

Universidade de Bristol - realiza um estudo relacionando a frequência sexual com o risco da mortalidade por diferentes causas. Esta universidade utilizou "Risco Relacional", que corresponde a valores subscritos por eles tendo em conta um intervalo mínimo e máximo, muito embora não possa ser expresso em nenhuma unidade.

Probabilidades de morrer de acordo com a vida Sexual e outros factores de risco(*)

Frequência de orgasmos
Risco relacional de mortalidade
Baixa
Média
Alta

Para todas as causas de falecimento

1,9
1,6
1

Por doenças do coração

2,1
1,8
1

Por outras causas

1,6
1,5
1

(*)Tendo-se en conta a idade, o tipo de trabalho - se é manual ou não -, a tensão arterial, se é fumador ou se já se padecia de alguma doença cardiovascular. Os valores para a mortalidade por emfermidades coronárias também tiveram em consideração o índice de colesterol. - Fonte: bmj.com, 2000.

Uma actividade sexual satisfatória torna o ser humano mais feliz, em harmonia com o seu corpo e com uma mente menos anciosa e irritadiça. O stress com que se vive o dia-a-dia desaparece no momento em que se toma este "medicamento revolucionário". Falar de sexo é ainda muito difícil uma vez que envolve a intimidade de cada pessoa. No entanto, será mais fácil encarar a sexualidade, se conhecermos melhor o nosso corpo por dentro e por fora. Antes de mais, há que ter a noção de que a relação sexual provoca uma reacção em cadeia, que activa todo o organismo, uma vez que é necessária uma preparação funcional, para que a penetração seja bem sucedida. Os órgãos sexuais sofrem alterações profundas, na forma e na função, e a excitação provoca reacções vasculares, neurológicas, musculares e hormonais.

Como medicina preventiva:
O prazer é apenas uma amostra dos benefícios do sexo. Além de retardar os efeitos de envelhecimento, a satisfação sexual ajuda na prevenção de doenças.

  • Previne a osteoporose - Fazer sexo fortalece os ossos devido ao aumento do nível de estrogénios no organismo da mulher e de testoterona, no caso do homem. A testosterona é também responsável pela força dos músculos.

  • Alivia as dores - De cabeça, reumáticas, menstruais... As enxaquecas são caracterizadas pela vasodilatação, uma vez que os vazos sanguíneos da cabeça dilatam e ficam muito doloridos. Durante a excitação e o orgasmo, o cérebro é imundado pela endorfina cujo efeito analgésico e tranquilizante pode fazer a dor desaparecer repentinamente. As dores menstruais também tendem a desaparecer, já que as contracções provocadas pelo orgasmo fazem com que o fluxo se disperse, relaxando a região e diminuindo as dores.

  • Actividade renal - Com o aumento da circulação sanguínia os rins trabalham mais, eliminam melhor os depósitos de toxinas. Beber bastante água depois de fazer sexo complementando o trabalho de purificação dos rins.

  • Evita problemas de próstata - Segundo Hugh O'Neill, editor da revista "Men's Health", os homens que têm relações sexuais, pelo menos três vezes por semana, têm menos probabilidades de desenvolver problemas de próstata, dado que as ejaculações frequentes ajudam a manter esta glândula em forma.

  • Previne as constipações - Muito frequentes, principalmente no Inverno, as constipações caracterizam-se pelo esgotamento e a debilidade, provocados por uma alteração no equilíbrio hormonal. Uma vida sexual activa e satisfatória contribui para manter um nível adequado de estrogénios e testosterona.
  • Fortalece a musculatura pélvica - Esta é uma área que precisa de exercício, uma vez que o seu enfraquecimento aumenta o processo de queda da bexiga (prolapso). O orgasmo provoca entre cinco a doze contracções da musculatura que envolve o órgão sexual.
  • Reforça o sistema imunitário - Segundo estudos científicos, existe uma relação entre o estado de humor e a imunidade, ou seja, as pessoas mal-humoradas e que sofrem de depressão reflectem os seus sentimentos no sistema imunológico. Logo, se as experiências sexuais agradáveis ajudam a melhorar o humor, também têm reflexos positivos no sistema de defesa do organismo. Isto significa que o sexo solidifica as defesas do organismo contra certo tipo de doenças, para afastar o fantasma da doença, nada melhor do que ter relações sexuais regularmente e de forma satisfatória.
  • Fortalece a actividade cardíaca - Durante a relação sexual dá-se uma descarga de adrenalina que aumenta a frequência cardíaca. O sangue circula por todo o lado, estimulando a irrigação. Na altura do orgasmo, a libertação de endorfina relaxa as paredes dos vasos, o que facilita a fluidez do sangue e diminui o risco de enfartes e derrames provocados pelo entupimento das veias. Nesta fase, as artérias dilatam-se absorvendo maior quantidade de oxigénio enquanto a frequência cardíaca chega aos 120 batimentos por minuto.
  • Ajuda a dormir - O orgasmo permite um estado relaxante a nível psicofísico. Na fase orgástica extingue-se a tensão e a ansiedade, responsáveis pelo endurecimento da musculatura do corpo e pela insónia, o que faz com que o sono chegue mais depressa.
  • Pode proteger contra o cancro da mama - Na opinião do dr. Timothy Murrell, da Universidade de Adelaide, na Austrália, os orgasmos podem ajudar a evitar o cancro da mama em mulheres que nunca tenham tido filhos. A sua teoria especula que a oxitocina que se liberta durante o climax inibe a proliferação de células cancerígenas, uma vez que nesse momento os níveis desta hormona são entre três a cinco vezes mais elevados que o habitual.
Uma vida sexual activa e satisfatória reduz em 50% o risco de morte

Num corpo são, uma mente sã:
Retirar prazer do sexo é cada vez mais importante, uma vez que ultrapassa as barreiras do físico e entra na esfera psicológica. Além de trazer inúmeros benefícios para o corpo, o sexo vive na nossa cabeça e pode fazer milagres pela mente.

  • As hormonas trabalham melhor - As mulheres com uma vida sexual activa produzem mais estrogénio, uma hormona decisiva para a saúde do coração, dos ossos e até para a manutenção do bom humor e bem-estar.
  • Aumenta a auto-estima - Momentos de grande intimidade, as relações sexuais são, também, alturas em que as pessoas se sentem mais vulneráveis e próximas umas das outras. Sentirmo-nos satisfeitos com o nosso corpo, significa acreditar nas nossas capacidades e ter mais confiança no que fazemos.
  • Liberta tensão - As endorfinas aumentam a sensação de prazer durante e depois do sexo e proporcionam um relaxamento que se estende por todo o corpo.
  • Efeito anti-stress - O orgasmo funciona como trégua para a ansiedade dos períodos de pressão pessoal e profissional.
  • Aumenta as capacidades mentais - Libertação de DHEA, produzida pela excitação sexual, ajuda-nos a ter uma maior capacidade cognitiva e de percepção. Sentirmo-nos bem e felizes torna-nos mais despertos para a realidade e perspicazes na hora de tomar decisões.
  • Fortalece os vínculos - As relações satisfatórias criam laços de confiança e união entre o casal. Tal como todas as outras relações, o sexo implica dar e receber, isto é, se queremos ter prazer, devemos procurar retribuir esse prazer. O Fortalecimento dos laços e da confiança estabelecida entre os casais através do tacto e dos restantes sentidos, permitem a exploração dos jogos de sedução e dos territórios até aí desconhecidos.
  • Melhora as relações sociais - O primeiro passo para nos relacionarmos bem com os outros é sentirmo-nos bem com nós próprios. O prazer físico e mental retirado de uma relação satisfatória, torna as pessoas mais abertas para o mundo exterior, pois há menos lugar para frustações.

Benefícios profiláticos:
Verdadeira revolução na medicina centemporânea, o sexo tem a particularidade de nos fazer sentir eternamente jovens e bonitos.

  • Activa a circulação sanguínea - A excitação provoca, por sua vez, um maior afluxo de sangue aos genitais, ao cérebro e às zonas periféricas. Ao circular mais rapidamente, este sangue limpo leva oxigénio fresco às células, órgãos e músculos, permitindo, desta forma, eliminar toxinas.
  • A pele fica mais bonita - O sexo, como qualquer exercício, faz o corpo gerar calor, causando uma intensa vasodilatação da epiderme: as veias aumentam, recebem mais sangue e as células da pele são renovadas com mais oxigénio e nutrientes. O resultado é uma pele jovem e tonificada. O sexo pode fazer milagres neste campo.
  • Tonifica os músculos - A ginástica que se faz desde os preliminares até ao orgasmo ajuda a fortalecer os glúteos, as pernas e o abdómem. A irrigação sanguínea ajuda, também, a combater a má circulação e a celulite. Durante um acto sexual intenso, com uma duração de 20 minutos, podem ser queimadas até 300 calorias.
  • Melhora o aspecto físico - Normalmente, quem tem uma vida sexual activa tende a preocupar-se mais com a sua uimagem. Procurar um corpo bem delineado e atractivo, uma pele sedosa e vestir roupas elegantes são algumas das exigências de quem faz do sexo um prazer.

Concluindo

Para além de não nos deixar cair numa vida sedentária, o sexo é considerado uma das mais eficazes medidas de prevenção que existe. Isto porque as pessoas sexualmente activas têm tendência a olhar mais para o seu corpo e a preocupar-se com pequenas alterações que possam surgir. Apesar de ser "um medicamento" extremamente natural, dado que a sua administração não implica qualquer tipo de transtorno, só faz bem à saúde e os efeitos podem ser bastante benéficos e satisfatórios.

Fonte: Quo nº 66 * Marco 2001

Perante tudo o que aqui está escrito, será que não está na hora da sociedade deixar-se de preconceitos e passar a abordar a sexualidade como algo perfeitamente natural e normal e, inclusivamente, passar a ser uma necessidade como qualquer outra por muito banal que seja? Sem pretender receitar o "remédio" a ninguém, será que os swingers, por terem já um campo de visão alargado sobre esta matéria e sempre terem encarado a sexualidade com a maior das naturalidades, merecem serem marginalizados ou apontados pela restante sociedade? Ou não será, precisamente por terem este campo de visão, que eles tem mais alegria de viver? Pensem, pensem...

Se esta matéria lhes interessa, podem consultar os seguintes sites:
http://www.rki.de/gesund/archiv/first.htm
http://www.momscape.com/articles/sexforhealth.htm
http://www.thriveonline/oxigen.com/sex/index.htm